pinturas, me parece que Goya se esvazia de tal forma que fica "sem nada", e assim finalmente possui algo precioso, finalmente está em sua própria companhia.

Fico feliz que o meu corpo esteja rejeitando mais o álcool em determinadas situações e me levando a querer estar próxima do Goya. Sinto que pelo menos ele está tendo mais senso de discernimento do que é melhor para mim.


Falo isso sem afetação, mas voltar para ver, ou quem sabe mesmo, somente estar próxima ao Goya, é muito próximo a invocar RES para perto de mim. E são nesses movimentos que eu crio distanciamento e me pergunto: sobre o que estou falando? Meu deus, o que é isso que estou tentando dizer? O que sou eu? E o que é a minha devolução a essa necessidade tão grandiosa de comunhão? Como mesmo vou ser sua companheira para sempre? Ou melhor, o que será a minha doação que me autoriza a dizer que serei sua companheira para sempre? O que essa fala prevê? O que eu já prevejo de mim? Assim como a cada desenho seu, RES reúne-se com um RES ainda não existente, mas não existente, quem sabe, pelos nossos códigos de apreensão do que existe, então a cada sexta feira, você abandona um tipo de compreensão do que concebemos por "existir" e navega por uma compreensão e crença de que há outras existências de si em latência, em espera, prevê sempre um Rubens novo que te espera para ser apropriado, inaugurado, a cada sexta feira inaugura um Porto novo de si mesmo.



Tem horas que me percebo querendo ser rebelde, e é cômico, meu corpo entra em guerra. Que raios que é ter um corpo? Hoje eu posso dizer que descobri claramente que eu tenho um corpo, e um corpo que precisa muito ser cuidado, ouvido, um corpo muito agressivo que não deixa as coisas saírem barato. Me sinto uma escrava desse corpo, e toda vez que sou rebelde com ele, pago caro. Essa dimensão da vida, de forma tão absolutamente visceral e bem pouco teórica, é muito recente.

III

II

24 julho 2017

Fiquei pensando hoje sobre o Goya. Na verdade, aconteceu algo que me deixou muito intrigada. Amanhã às 6 da manhã vamos para Olbia pegar o barco, então hoje foi nosso último dia em Madrid. Senti uma necessidade muito forte, como um mecanismo de sanidade, de voltar ao Prado para ver as pinturas escuras do Goya. A questão é que naquele lugar, ao lado daquelas pinturas terríveis, busquei me acalmar. O que eu estava procurando na realidade, naquelas pinturas, foi justamente um companheiro. Fui até o Prado, fui até as pinturas escuras, na busca de comunhão, de sentir a secura de um homem que enfrentou mergulhar em sua própria miséria e expô-la, e sentir a árida sensação de estar descolado dela, uma vez que ela está para fora de Goya naquelas

25.julho.2017

Parece que o bimotor penetra a massa negra do desenho, é surreal como o desenho se transformou em um campo com uma dimensão que extrapola a do papel. Essa aparição me deixa muito perplexa. A obra que RES está construindo realmente me assombra... Não consigo entender de onde veio esse avião... Não consigo acreditar no seu afinamento com a vida. Nas perguntas que faz a ela e ela lhe responde, quem sabe sua obra

 
 

seja as respostas que a vida te dá articuladas no mundo – quem sabe o avião bimotor seja a vida respondendo através de RES.

 

Ao lado de fora do barco, ele navega enquanto o sol se põe. Cruzo uma ilha pequena, prefiro dizer que é uma pequena montanha no meio do mar, com uma pequena luz branca que pisca. De algum modo, o que vivo agora cruzando pelo mar da Sardenha já está previsto em seu desenho. A atmosfera que me envolve nesse exato momento está em seu desenho. Quem sabe esse seja um dos motivos pelo qual eu fico deslumbrada com o seu desenho, sua atmosfera faz com que eu me sinta em casa, em minha casa, em minha morada, dentro da minha própria luzinha que pisca em alto mar.

  • Instagram
  • YouTube

A CIAI é uma extenção do Conglomerado Atelier do Centro – G8

Atelier do Centro - G1

Rua Epitácio Pessoa, 91, República, São Paulo

www.conglomeradoatelierdocentro.com

Galpão do Centro - G2

Rua Teodoro Baima, 39, República, São Paulo

Residência Atelier Luca Parise - G3

Rua Teodoro Baima, 51, SL 2, República, São Paulo 

CECAC - Centro de Estudos Conglomerado

Atelier do Centro - G4

Rua Teodoro Baima, 51, SL 1, República, São Paulo​

Atelier do Centro - G5

Rua Teodoro Baima, 88, República, São Paulo

Coleção Àlex Muñoz - G6

Carrer del Segle, 5, Premià de Mar

08330 - Barcelona, España

OPCAC - Oficina Prática Conglomerado Atelier do Centro

Rua Teodoro Baima, 39, República, São Paulo

www.opcac.xyz

Vernacular - Editora e papelaria

Rua Epitácio Pessoa, 91, República, São Paulo

www.vernaculareditora.com

Sala dos Cadernos e Coleção Anna Israel - G8

 

Prudência - G9 

 

Coleção Lisa Gordon - G10

 

Biblioteca Eiffel - G11

resistânce.png
  • amazon_PNG5
  • instagram
  • youtube